segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Monotipia

A monotipia é uma técnica de impressão muito simples. Constitui-se de um processo híbrido, entre a pintura, o desenho e a gravura. Aproxima-se do gesto da pintura, da mancha de tinta, ou
do traço, da linha; ao mesmo tempo possui características próprias da gravura, como a inversão da imagem.

Como se faz?
Uma pequena quantidade de tinta é aplicada numa superfície plana (fórmica ou vidro), duas folhas de papel são apoiadas em cima da placa e um desenho é feito sobre esse papel, pode-se utilizar nessa produção figuras de revistas, fotografias, ou desenho livre.

Normalmente o papel é fixado em um dos lados da placa, para que fique sempre na mesma posição, evitando que a imagem seja transferida com distorções. Aplica-se a tinta sobre a placa e, em seguida, abaixa-se o papel, pressionando-o com a mão, rolo, cotonete, ou qualquer outro artifício para fazer a pressão, de acordo com o que o artista espera que saia impresso do outro lado.
A operação é repetida tantas vezes quantas forem necessárias.
A gravura obtida sempre será uma imagem espelhada.




Falando assim pode ser meio difícil de entender. Mas olhando vídeos sobre essa técnica, dá pra ver que é bem simples mesmo. Nem por isso os resultados são simplórios. Excelentes produções podem ser feitas com essa técnica.
Na oficina que fizemos sábado, teve de tudo. As minhas produções ficaram bem simples, mas eu vi algumas lindas que me deixaram encantada.

Essas são minhas produções. A primeira eu e meu amor, a segunda um cifrão pra trazer din din, rs, e a terceira é um cachorrinho com um gato que eu tirei da campanha de vacinação contra a raiva.

Abaixo a obra da D. Graça. Ela usou papel grande, acho que cartolina. Achei simplesmente maravilhosa a produção dela.

A seguir a sequência dos 3 que a Márcia fez. Essa já é artista, então... nem precisa comentar que ficou per...

A bicicleta ela fez a mão livre. Apesar dos borrões serem características da técnica, as obras da Márcia mostram que é possível fazer sem borrar. Isso depende da quantidade de tinta que é colocada na fórmica, que deve ser a mínima possível, e da pressão que fazemos em cima do papel.


































Eu achei maravilhoso descobrir e exercitar essa possibilidade artística. Por mim ficaria facilmente a tarde toda fazendo isso.
Abaixo, eu com nosso professor super cult Carlos Pedrosa. Apesar da foto ter ficado desfocada (hê Gabi! :P). Eu não pude deixar de colocar.

5 comentários:

Eliane disse...

Adorei essa técnica, vou aplicar com os meus alunos.Gosto de novidade! Pelo menos pra mim é.B-jão!

Bia Mendonça disse...

Jane, eu (como já havia falado aqui) não tinha nem noção do que era monotipia, mas eu gostei muito dessa "nova" arte! Os desenhos são lindissimos!!


bjos

Fernanda disse...

Achei o maximo, suas 3 obras de arte ficaram uma graca. Parabens amiga artista :)

Jane disse...

Eliane e Bia,
Para mim monotipia tbm foi novidade, mas a técnica não é tão nova assim, teve sua origem no século XVII.

Fer,
Obrigada amiga. Para uma principiante não está nada mal né?

Bjs

Elianne Goff disse...

Jane , adorei ver os resultados desta tecnica e bom exercictar nosso lado criativo ... Parabens e obrigada por deixar a gente saber sobre ... Boa semana !!!

beijos