quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Vou cantando minha história...

Ontem eu recebi um aluno novo.
Pode parecer antiético mas vou falar.
O menino vai fazer 5 anos em abril, e falando o português "claro" é uma criança meio "sem noção", não sabe contar nem até 2, não sabe quantos anos tem, não conhece as cores e não presta atenção em nada do que eu falo. Hoje o professor de Educação Física veio me perguntar o que acontece com ele, se é mt novinho (oi?) ou se tem algum problema, pq na aula dele o menino não entendia o que ele falava e só ficou empurrando os outros e rindo. É cedo pra afirmar alguma coisa, mas a impressão que eu tive é que o tipo de criança que não deve ter muita interação em casa.

Mas na escola (ontem) me falaram que talvez eu teria problema mesmo era com outro novato (que se matriculou ontem e que viria hoje). É um menino de 6 anos (completa 7 no meio do ano) mas que nunca foi à escola pois tinha um atestado médico de que não era viável matriculá-lo pois ele tinha frequentes crises de convulsao. Esse ano o médico liberou e a mãe o matriculou.
Sabendo disso, hoje eu fiquei meio "apreensiva" pra receber essa criança. Ele veio com a irmã de 5 anos, que também será minha aluna.
Para minha surpresa, veio um menino educado, sorridente e cheio de vontade de aprender.
Não sei ao certo pq, mas foi amor a primeira vista que senti. Deve ser por causa do sorriso e da carinha de felicidade dele por estar ali.
Fiquei tão feliz!
E fiquei pensando no quanto eu aprendo nessa minha relação com as crianças, com as diferenças, com a diversidade.
Tenho agora uma sala com 15 alunos entre 4 e 6 anos. Educação Infantil e Ensino Fundamental junto. Crianças que nunca foram à escola e crianças que estão comigo há dois anos.
Um desafio, sem dúvida... Mas eu acho que é com os desafios que a gente mais cresce.
Então vamos lá!

A música oportuna para mim nesse momento e em todos da minha vida é: "Tudo Posso" (Padre Fábio)

4 comentários:

Bia Mendonça disse...

Interesse esse menino que vc falou no inicio do post. Será que ele não algum problema cognitivo? Pq com 5 anos não compreender o que os outros falam, mesmo que ele não tenha muita interação em casa, ainda assim, alguma coisa está errada.

Quando ao segundo menininho, acho que depois de tanto tempo vendo a irmã indo para a escola, tendo amiguinhos, aprendendo... ele deve estar feliz de estar podendo finalmente fazer o mesmo!

bjs

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Jane
Que situacao dificil. Receber uma crianca com 5 anos nestas condicoes, e' um desafio. E a mae? Nao disse nada do antes? A minha filha, quando chegamos aqui, foi direto para a escola sem falar um "ai" de espanhol e logo se adaptou, nao falava muito mas compreendia tudo. Ja' a outra crianca doente - e' um complicador - mas faz parte da inclusao. Na sala da minha filha,tem uma menina que foi prematura e tem todas as sequelas que vc possa imaginar, inclusive as convulsoes. Ela falta, chega atrasada, sai cedo - tudo por motivos me'dicos, mas esta' la' firme e forte com a turma. Coragem!! Voce pode vencer tudo isso! Confie em vc e Nele .... Beijos

Fernanda disse...

Quando comecei a ler seu poste ateh imaginei que no final vc ia dizer que descobriram que ele tinha problema auditivo. Deve ser mesmo um desafio, e uma recompensa enorme fazer parte da vida desses pequenos.
Beijao!

Jane disse...

Bia,
Então Bia, é cedo pra falar alguma coisa sobre o primeiro menino, ele começou na escola terça feira (só tem 3 dias). Eu percebo que ele não compreende o que as pessoas falam pq ele nao presta atençao. Hoje na roda de historia, todos estavam vidrados em mim e eu vi q ele nao prestou atençao em nada da historia. Parece que não aprendeu a conversar, a ouvir e a falar.
A gente aprende a ser gente né? Não to falando que o caso desse menino, mas eu ja vi crianças que foram tratadas como bichinhos e não aprenderam a ouvir, falar, não entendem regras basicas de convivencia.
Vamos ver o que acontece com o tempo neh?
O segundo menino, parece que tinha sim vontade de ir a escola, tinha alguma espectativa em relaçao a esse momento, acredito que os pais devem ter falando pra ele. A irmãzinha dele, tem 5 anos e tb está começando agora, é o primeiro ano dela.

Larissa,
Eu não conversei com a mãe do menino. Ela foi na escola fazer a matricula, acho que só teve contato com a secretária e no primeiro dia colocou ele no onibus sozinho (junto com as outras crianças). Não o acompanhou. O que eu sei sobre ele, é que não tem irmãos e não tem vizinhos por perto (eles moram na zona rural).
É dificil receber uma criança assim. As vezes a gente se sente meio impotente, ou sente que tem que fazer mais do que ser apenas professora em alguns casos. Mas no final da tudo certo. Tem que dar né?
O outro menino (que tem problema de saúde) eu tb nao vi a mae, não sei se ele tem convulsao com frequencia, mas me parece uma criança normal. É bem interessado. Está indo td bem. Graças a Deus.

Fer,
Pois é, cheguei a pensar se ele pode ter algum problema de audiçao, mas acho que não tem não... Ele até escuta qd gente chama ele,mas parece que não assimila o que a gente ta falando, nem com os colegas ele conversa direito.
É um desafio sim e hoje eu to cansada demais pra pensar nas recompensas do meu trabalho...