quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Livre, leve e solta


Assim a Duda correu pela primeira vez na sua longa vidinha.
Nesse mês de fevereiro completou 11 anos que eu tenho essa cadelinha complicada, que dizem que é a minha cara, ou melhor, que tem a minha personalidade.

Minha velhinha vai completar 12 anos e eu fico pensando como vai ser quando ela partir...

Agora na sua velhice estou mais do que nunca tratando-a muito bem, com muita dignidade. Só come ração senior (premium) e agora se dá ao luxo de comer carne (dessas de latinha pra cachorro). Os biscoitos que ela amava, depois que experimentou a carne são desprezados.

Eu devia a ela um passeio assim, como o que fizemos domingo.

Por medo de perde-la, medo que ela corresse para a frente de um carro, eu nunca tive coragem de soltá-la.
Domingo nós saímos (de moto) e fomos até a UFLA. Ela ficou "doida" quando eu a soltei, mas se comportou mt bem!
Saia correndo e voltava, na grama e nas calçadas. Quando eu a chamava ela vinha correndo e pulava nas minhas pernas.
Foi um momento maravilhoso para nós. Me senti realizada. E pretendo levá-la outras vezes pra sentir o que é ser "livre".

Um comentário:

Suzala Moura disse...

Adorei..meu cachorrinho Jordan ainda é um filhote, mas nem quero imaginar a minha vida sem ele!!! Beijos, linda!